Por Redentoristas Em Notícias Atualizada em 19 FEV 2019 - 11H19

Você conhece o Rosário Redentorista? Saiba seu significado e simbolismos

Thiago Leon
Thiago Leon


O hábito dos Missionários Redentoristas é o mesmo desde a fundação da congregação. Ele foi idealizado por Santo Afonso, seu fundador. Como já falamos sobre o hábito em outra publicação [confira aqui], hoje queremos dar destaque ao Rosário Redentorista.

É um rosário como qualquer outro, formado pelos seus quatro terços, ou seja, 20 dezenas, totalizando 200 Ave-Marias, e uma quantidade de Pai-Nossos, Glórias ao Pai e também o Credo. O que o distingue são as medalhas que carrega e o jeito que ele é colocado à cintura.

História do Rosário

Mas antes, vamos lembrar a história desta que é a mais conhecida forma de oração mariana. A Ave-Maria é uma oração que foi construída aos poucos ao longo da história da Igreja. A primeira parte foi introduzida por volta do século VI. A segunda parte “Santa Maria Mãe de Deus...” veio apenas no século XV. No entanto, a Ave-Maria já era rezada em repetição no chamado “Saltério da Ave-Maria”, onde eram repetidas 150 vezes a oração, isso ocorreu nos séculos XI e XII. 

De forma geral, a ideia de um rosário, formado por dezenas de Ave-Marias, intercalado por alguns Pai-Nossos e com a meditação dos mistérios evangélicos ocorreu no século XV. Até que, no século XVI, precisamente em 1569, o Papa Pio V, com a bula “Consueverunt romani pontifices”, consagrou a forma do rosário como conhecemos na atualidade. 

Voltando ao Hábito Redentorista

No Hábito Redentorista existem alguns símbolos particulares. O primeiro deles refere-se às suas medalhas. A primeira medalha mostra de um lado, a imagem de Santo Afonso, e do outro, o Santíssimo Redentor com os dizeres: “Copiosa apud eum Redemptio”, que significa “A redenção junto d’Ele é copiosa” (Sl. 130), que resume a espiritualidade redentorista. A imagem do Santíssimo Redentor, recorda que Santo Afonso consagrou a Ele a congregação.

:: Por que Santíssimo Redentor?

No início do rosário, existe ainda uma outra medalha, que fica antes da contemplação dos mistérios. Ela pode ser de qualquer imagem de Virgem Maria, não existe um padrão para esta medalha. Neste hábito que pertence ao padre Camilo Júnior, a medalha é uma imagem de Nossa Senhora das Graças.

Outro detalhe que pode passar despercebido, é que o rosário redentorista é colocado sobre a cintura em forma de M, para lembrar a devoção filial dos missionários a Virgem Maria, tendo ela como seu modelo de fidelidade a Deus.

A12.
A12.
Hábito é colocado sobre a cintura em forma de M. No detalhe, as faces da medalha.


Em algumas ocasiões, os missionários podem ser vistos portando uma grande cruz à cintura. Esta é a Cruz Missionária, que cada religioso recebe no dia de sua profissão religiosa. Hoje, os religiosos que trabalham nas Santas Missões a usam quando estão em alguma missão.

O Rosário Redentorista é expressão de todo o amor que o Missionário tem para com Nossa Senhora. Santo Afonso foi o grande cantador das Glórias de Maria e cada missionário tem a missão de manifestar a presença de Maria na sua vida, na fé do povo e tê-la como sinal de sua consagração e devoção.

:: Santo Afonso: o cantador das Glórias de Maria

2 Comentários

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redentoristas, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.