Por Redação A12 Em Santo Padre Atualizada em 12 ABR 2019 - 08H56

Papa beija pés de líderes do Sudão do Sul para pedir paz

O Papa Francisco exortou os líderes políticos do Sudão do Sul a cumprirem o compromisso de paz que assinaram no ano passado, rezando com eles após dois dias de um retiro espiritual.

A vocês três que assinaram o Acordo de Paz, peço-lhes, como irmão, que permaneçam na paz. Peço-lhes com o coração. Vamos seguir em frente. Haverá muitos problemas, mas não tenham medo; vão em frente, resolvam os problemas. Vocês iniciaram um processo: que termine bem. Haverá lutas entre vocês dois, sim. Que elas ocorram dentro do escritório; diante do povo, as mãos unidas. Assim, de simples cidadãos, vocês se tornarão pais da Nação. Permitam-me pedir isso com o coração, com os meus sentimentos mais profundos”, disse o Papa.

.:: Veja íntegra do vídeo

No final de seu discurso de encerramento do retiro espiritual, o Papa Francisco inclinou-se para beijar os pés dos líderes do país, reunidos para a iniciativa de paz. O Papa beijou os pés ao presidente da República, Salva Kiir Mayardit, e aos vice-presidentes-designados presentes, entre os quais Riek Machar e Rebecca Nyandeng De Mabior.

Leia MaisPapa aprova novas normas para comunhão de Católicos e AnglicanosPapa aboliu o beijo no Anel Papal do protocolo e prefere dar abraçosSeis vezes em que o Papa critica o ódio 6 pontos e 6 anos do Pontificado de FranciscoCinco vezes em que o Papa fala contra o terrorismoQuaresma: No caminho da vida, qual rota procuro?No final do encontro, os participantes receberam uma Bíblia assinada por Francisco, pelo Arcebispo de Cantuária e pelo reverendo John Chalmers, da Igreja Presbiteriana da Escócia, com a mensagem "Buscai o que une, superai o que divide", e o Papa deu-lhes a sua bênção.

O Sudão do Sul, com uma população majoritariamente cristã, obteve a sua independência ao separar-se do Norte árabe e muçulmano em 2011, mas, no final de 2013, mergulhou num conflito civil causado pela rivalidade entre o presidente, Salva Kiir, e o seu então vice-presidente, Riek Machar.

"Confirmo o meu desejo e a minha esperança de poder ir ao vosso amado país num futuro próximo, com a graça de Deus, junto com os meus queridos irmãos aqui presentes”, disse o Santo Padre.

Fonte: Vatican News

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Santo Padre

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.