Por Pe. Antonio Clayton Sant’Anna, C.Ss.R. Em Artigos Atualizada em 26 MAR 2019 - 12H47

A espiritualidade presente na imagem de Nossa Senhora Aparecida

Sem imagens o pensamento permanece oculto e estéril, as ideias não se comunicam. Não se escreve a História nem se cria a Arte: o desenho, a pintura, a escultura, a música. Sem “imagens” não haveria encontros com o outro, diferente de mim. Não seria possível falar de Deus e partilhar os dons da vida que vem dele. Aliás, o próprio Deus se revelou como ‘imagem’: “Façamos o homem à nossa imagem e semelhança... E Deus criou o homem à sua imagem; à imagem de Deus ele o criou; e os criou homem e mulher” (Gn 1,26-27).

imagem_nsa

A imagem de Nossa Senhora Aparecida comunica a gravidez da Virgem Maria, uma iconografia comum do séc. XVIII: Nossa Senhora da Conceição. Na palavra conceição estão subentendidas a Encarnação do Verbo e a firme convicção de fé sobre a condição privilegiada e única da geração imaculada de Nossa Senhora. A veneração à imagem da Mãe Aparecida proclama as bem-aventuranças do Evangelho!

Os primeiros tocados pela “mística” do achado daquela pequena imagem foram os três piedosos pescadores (João Alves; Felipe Pedroso; Domingos Garcia). Depois, seus familiares, vizinhos e por meio deles os que vieram conhecê-la atraídos por notícias veiculadas sobre graças alcançadas. Não houve aparições nem falas ligadas ao encontro da imagem, mas houve e há desde então a boa notícia: Deus re-visitou o seu povo! Do rio ela veio e do culto ela brota um rio de graças, bênçãos, favores divinos. Meditando a história, o significado, a repercussão do achado e da veneração prestada à Maria em sua imagem de Aparecida, não há como não rezar a frase bíblica da Visitação: Bendita és tu entre todas as mulheres, ó Maria!

É a mãe que deseja congregar e encaminhar todos para o Filho Jesus.

Na imensidão arquitetônica do Santuário Nacional a imagenzinha é apenas um ponto pequenino emoldurado pelo nicho artisticamente desenhado. Para ela convergem todos os olhares. Em sua presença param pessoas imersas em silenciosa contemplação espiritual. Outras emocionadas até às lágrimas pedem e/ou agradecem graças. Lá do seu nicho cravado na parede sul do Santuário a veneranda e histórica imagem da Mãe Aparecida derrama a luz do seu olhar sobre os fiéis em prece ali perto ou mais longe. Com delicado sorriso recebe seus visitantes e parece apontar o altar central encimado pela grande cruz de ferro. É a mãe que deseja congregar e encaminhar todos para o Filho Jesus. Todos ali se sentem acolhidos por Deus diante de um símbolo tão frágil de sua misericórdia. Chamada para nos dar o Cristo, Maria é a intercessora do povo brasileiro nos 300 anos de graças e bênçãos no seu Santuário.


1 Comentário

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Pe. Antonio Clayton Sant’Anna, C.Ss.R., em Artigos

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.